Notícias /

CONFIRA O RESULTADO DA MNP NO CREA

 

SEM AUMENTO REAL      A concessão de aumento real é uma questão que o CREA considera finalizada, declarando que NÃO SERÁ CONCEDIDO. Naturalmente, para o Sinsexpro e CRE essa resposta é inaceitável. Assim, diante dos diversos motivos apresentados pelo Conselho para a não concessão (orientação do TCU, salários até melhores do que outros do mercado e outros), solicitamos resposta expressa, com demonstração de todas as impossibilidades alegadas, para ser divulgada e debatida com os funcionários.
Fique atento!
PCCS ESTÁ COM SUPGER    Na questão de contratação de empresa para analisar o Plano de Cargos, Carreira e Salários proposto para unificar os PCCS de 2009 e 2015, o único movimento ocorrido no último mês foi o de transferência desse processo para a SUPGER que, junto com a SUPADM, buscará agilizar a contratação da empresa. O Sinsexpro e a CRE, naturalmente, voltaram a protestar pelo tempo decorrido, pela frustração decorrente desse encaminhamento, mas o CREA mantém sua decisão sob a argumentação de questionamentos que poderiam ser feitos pelo Tribunal de Contas da União. A gestão no TCU, que vemos como um caminho importante para dialogar sobre todas as dificuldades impostas aos trabalhadores dos conselhos, também não teve êxito, segundo o CREA, a partir das investidas do CONFEA. Assim, o Sinsexpro anunciou ação de iniciativa na Fenasera para definir a questão no Supremo Tribunal Federal, destacando a imperiosa necessidade de colaboração dos conselhos.
TRANSFERÊNCIAS EM SUSPENSO    Foi solicitada relação de pedidos de transferências. O CREA, que só tem controle de solicitações feitas nesta gestão e não nas anteriores, reafirmou que não haverá movimentação de pessoal antes do resultado do concurso público, que está suspenso por hora. A CRE fará levantamento das pretensões de transferência com os próprios funcionários.
ABONO DE AUSÊNCIA NO CALL CENTER    Diante da definição do CREA de que não há meio de compensação de horas no Call Center, o Sinsexpro insistiu na chancela da administração orientando a área a abonar ausências por motivos de força maior, devidamente comprovados. O Conselho analisará o pleito.
UTILIZAÇÃO DA FROTA DO CONSELHO    Sobre as pendências na utilização dos veículos da frota do Conselho,

1 - O CREA recebeu parecer do Jurídico reafirmando que cabem as exigências de anotações na CNH, mas nem o próprio SUPGER está convencido da exatidão desse parecer, razão pela qual a questão será retomada pelo CREA com sua assessoria jurídica. 2 - Quanto à utilização dos carros da frota por funcionários administrativos, o CREA apresentou argumentos em favor da utilização dos mesmos, porque minimiza os riscos (os carros são novos), evita desgaste em veículos que não são do Conselho por utilização em serviço e norteia a responsabilização do CREA por eventuais danos e acidentes no percurso. Sobre avarias o SUPGER destacou que a recém criada unidade de logística poderá adotar vistoria na retirada e entrega, permitindo melhor acerto nas responsabilizações. 3 - As caronas, como já tinha sido orientado pelo Sinsexpro, devem ser negadas, isto é, o funcionário DEVE SE RECUSAR a dar carona. 4 - Foi reafirmada a necessidade de orientação aos gestores para credenciarem os veículos da fiscalização para isenção do pagamento de zona azul.
DIÁRIAS ATUALIZADAS   O CREA informou que os valores da tabela de diárias já estão sendo atualizados pelo índice da inflação. Informou ainda que a hospedagem em hotel por ocasião de  eventos é opcional, isto é, o funcionário pode se recusar a ficar hospedado no hotel do evento e escolher outro local para sua hospedagem.
REFEITÓRIO ANGÉLICA    A questão do refeitório da Sede Angélica, que se esperava que já estivesse superada porque o assunto foi equacionado ainda no ano passado, voltará a ser verificada pelo CREA.
BOLSAS DE ESTUDO
PÓS-GRADUAÇÃO 
  O CREA firmou a posição de que as Bolsas de Estudo de Pós-graduação remanescentes, isto é, que estão previstas mas não foram sorteadas, não serão concedidas para cargos que não exijam escolaridade de nível superior. Diante da queixa porque foi concedida bolsa de pós-graduação para funcionário lotado em cargo que tem como pré requisito nível médio, o CREA argumentou que aquele titular tinha nível superior e sua atividade justificava a exigência. O Sinsexpro e o CRE protestaram severamente pelo tratamento que entendem ser privilegiado, especialmente por vermos funcionários lotados em cargos com gratificação e contemplados com bolsas quando sua escolaridade não é a exigida para o cargo.
RECESSO FINAL DE ANO     Sobre o recesso de final de ano, o CREA decidiu que deve ser definido pelo gerente da unidade, porque este é que sabe da necessidade do funcionamento. Mas o Conselho vai atender às gerências que manifestarem sua pretensão de manter o recesso, por desnecessidade das atividades. Foi solicitado pelo Sindicato e CRE que o SUPGER reavalie junto à SUPFIS a necessidade de fechamento de todas as unidades. A CRE encaminhará solicitação formal desse pedido.
     As demais questões pautadas para essa reunião foram transferidas para um próximo encontro, que o Sinsexpro e a CRE solicitaram que seja no dia 4 de setembro. UNIÃO É VITÓRIA!

« voltar