Notícias /

CONFIRA O RESULTADO DA MNP NO CREA

  Confira os demais assuntos tratados na Mesa de Negociação Permanente de 4/09 
 

RECESSO
FINAL DE ANO

Pela insistência de que o recesso fosse geral, com fechamento de todas as unidades do CREA, os representantes do Conselho explicaram que pode haver denúncia de falta de atendimento por profissionais, empresas ou quaisquer pessoas que se sintam prejudicadas. Além disso, gerências regionais teriam informado que há em seus quadros funcionários que preferem trabalhar nesse período. Assim, ficou decidido que o DRH fará consulta aos funcionários para identificar voluntários ao trabalho em regime de plantão nesse período. Os gestores serão orientados a constatar em quais unidades o plantão será mesmo necessário e, nestas, a chefia deve priorizar os voluntários. Somente nos casos em que seja imperioso o funcionamento da unidade e não houver funcionários voluntários a comparecerem nesses dias, a chefia é quem dará expediente nesse dia.
CNH FISCAIS
A anotação na CNH para os fiscais continua pendente, mas o SUPGER manifestou que deverá haver consenso sobre o assunto ainda nesta semana. Também está conclusa para análise da Presidência nova Instrução de pagamento de diárias, para corrigir as inconsistências entre as instruções que alcançam os funcionários e as que se referem a conselheiros. Para que os fiscais não estejam sujeitos à cobrança de Zona Azul, a SUPFIS elaborou um ofício padrão para encaminhamento a todas as Prefeituras. Algumas já deram retorno ao assunto, outras ainda não. A Presidência acredita que ainda neste mês este problema seja sanado. O ofício também será encaminhado ao DETRAN para solicitar liberação do rodízio e de cobrança de pedágio. E se houver convocação de fiscais para atendimento em unidades fora de sua lotação, o Presidente esclareceu que já foi determinado que as despesas correspondentes sejam pagas, de preferência, antes que ocorram. Se a convocação acontecer de última hora, os reembolsos devem ser feitos logo que possível.
LENTIDÃO
NO SISTEMA

Em decorrência de muitas reclamações recebidas, o Sindicato questionou a lentidão dos sistemas informatizados, com destaque para impressão de carteiras por uma só impressora no Estado. O Presidente informou que está sendo avaliada proposta de um sistema único e integrado para os diversos trabalhos do Conselho, que deve começar pela fiscalização e engloba todo o atendimento administrativo. A intenção da administração é chegar num padrão de atendimento, com horário agendado como acontece no atendimento do Poupatempo. Houve anuência para que os funcionários colaborem na construção desse novo sistema, colaborando com suas experiências locais para que tudo funcione melhor.
CALL CENTER
Pela impossibilidade de compensação de horas no Call Center, o SUPGER informou que a chefia da unidade será orientada para analisar caso a caso as ocorrências, quando poderá até haver abono de horas impossíveis de serem compensadas pelas limitações legais na jornada de trabalho daquela unidade.
REFEITÓRIO ANGÉLICA
A SUPGER dará posicionamento definitivo na questão da utilização do refeitório na Sede Angélica até a próxima MNP. A SUPGER informa ainda que o assunto foi levado ao Ministério Público e que, embora o Conselho não esteja obrigado à instalação de refeitório naquela unidade por haverem lá menos de 300 empregados prestando serviços, foi recomendado que cumpram-se as disposições dos itens 24.3.5 e seguintes da NR-24, garantindo aos seus empregados e terceirizados, em todas as ocasiões, condições suficientes de conforto para as refeições, em especial um local adequado, fora da área de trabalho.
BRIGADA
DE INCÊNDIO

O Sinsexpro questionou sobre unidades do Conselho que não participaram do Treinamento Brigada de Incêndio. O DRH alegou não ter conhecimento, pelo quê o Sindicato ficou de encaminhar quais são.
PLANO
DE SAÚDE

Foram registrados os problemas com descredenciamento frequente de hospitais e laboratórios, mas o Conselho esclareceu que não pode contratar mais de um plano simultaneamente, pelo risco de alegação de tratamento diferenciado, e que a UNIMED FESP é a única que atende todas as unidade do CREA pelo Estado.
HOME OFFICE
O Sindicato esclarece que a princípio é contra o trabalho home office diante das implicações trabalhistas que esse tipo de contrato impacta. Por isso, a demanda foi apresentada pela CRE. O CREA informa que no momento não há estudo nessa área em andamento pela atual administração. A SUPGER citou a questão da estrutura física (o Conselho teria que disponibilizar toda a estrutura para este funcionário trabalhar) e não há ferramentas para medir a produtividade.
FORNECIMENTO DE EPI’S
A SUPGER esclarece que para o CREA fornecer EPI para o funcionário, teria que haver um grau de risco que não foi identificado nas funções do CREA-SP e informa que o DOP está fazendo um levantamento dessas necessidades.  

« voltar