Notícias /

DISSÍDIO DA OAB VAI A JULGAMENTO

Finalizado o prazo que o TRT concedeu para que Sinsexpro e OAB fechassem o Acordo Coletivo 2017 e declarassem no processo de Dissídio deste ano qual rumo querem dar à Campanha de 2018, a OAB não se pronunciou sobre qualquer possibilidade de negociação. O Sinsexpro já comunicou ao TRT que não houve Acordo informando, inclusive, que Assembleia de trabalhadoras/es deliberou pela não assinatura do ACT 2017 e nem condicionar a assinatura deste Acordo já vencido à negociação do Acordo Coletivo 2018. O processo de Dissídio vai agora para julgamento, o que deve ocorrer em breve. Enquanto isso, o Sindicato continua aberto ao diálogo e persiste na negociação, pois NADA impede que a OAB chame para negociar o ACT. 

BANCO DE HORAS É PREJUDICIAL      O Sinsexpro esclarece que é totalmente contra a implantação do banco de horas na OAB, pois entende que este sistema é nefasto ao trabalhador. O funcionário realiza uma grande quantidade de horas extras e recebe descansos que a Ordem poderá fixar de forma unilateral, sem que o funcionário tenha condições de escolher o melhor dia para receber sua folga. Portanto, apesar de o banco de horas ser possível e a nova lei da reforma trabalhista autorizar o acordo individual por escrito, ninguém é obrigado a aderir a esse tipo de compensação. E há também uma grande incoerência da OAB ao afirmar que foi contrária à Reforma Trabalhista e agora está consultando seus funcionários para aderir ou não o banco de horas. Ou seja, uma posição contrária daquilo que sempre defendeu. Por isso, o Sinsexpro orienta aos trabalhadores a não assinarem nenhuma adesão ao banco de horas.  
 

« voltar